A CARREGAR

Descrição

Preocupamo-nos sempre com o bem-estar dos que irão habitar os espaços que desenhamos e que desejamos construir.

Habitar é ocupar os espaços e exercer as funções vitais de conforto, de trabalho ou de prazer.

Na realidade, trata-se de ordenar e dar forma a funções.

Somos funcionalistas até porque a Arquitetura o deve ser e a isso nos obriga.


Não o sendo, estaremos destinados ao desconforto, ao absurdo e logo ao ridículo.

O Centro Equestre, sito no lugar do Cabo do Mundo, Leça da Palmeira, é habitado por cavalos e nele trabalha gente que gosta de cavalos.

O desafio, ou encomenda, incluía a utilização de madeira na estrutura mas também nas divisórias, paredes e tectos.

Um estábulo em madeira com dois picadeiros cobertos, um celeiro e um volume social em madeira.

Como em qualquer projeto é necessário conhecer os clientes e ouvir as suas exigências, necessidades e aspirações.

Não podendo falar com os cavalos, os verdadeiros habitantes daquele espaço, vi-me obrigado a dialogar com quem conhece e trabalha com cavalos.

Apesar de ter alguma experiência e um gosto de sempre por estes gentis seres, nunca tinha abordado este tema do ponto de vista profissional.

Quando exercemos a profissão entramos a fundo nas vidas dos habitantes e utilizadores e ficamos a saber muito da sua intimidade. Do que gostam, do que não gostam. É sempre assim, deve ser sempre assim, não importa quais os utilizadores ou habitantes.


O Centro Equestre é um espaço onde se vive com, para e dos cavalos.

Tudo pretende ser função e conforto.


A necessidade dos espaços interiores tem a ver com a proteção do clima, nos seus aspectos mais agressivos, como são as intempéries, porque nem sempre é possível habitar só o exterior.

Os dois picadeiros cobertos, de dimensões diferentes, tornaram-se um desafio estrutural interessante devido ao seu vão, de dimensão considerável, que obrigou a alguma experimentação.

Estrutura define espaços e funções. Estrutura é tosco e acabado. Estrutura define a obra, porque qualquer elemento é estrutura e também espaço.

A atividade equestre vai para além dos espaços cobertos. Moldou-se o terreno, criando terraços onde se construiu um picadeiro exterior, paddocks, campos de saltos e percursos.

Bem perto do Atlântico, ali mesmo à distância do olhar.


Gaia, 27.11.2014

Carlos Castanheira

Ficha Técnica

Localização:
Leça da Palmeira, Matosinhos, Portugal

Data:
2012 / 2014

Arquitetura:
Carlos Castanheira
Carlos Castanheira & Clara Bastai, Arqtos Lda.

Colaboração:
Orlando Sousa, Fernanda Sá, Joana Catarino, Cátia Carvalho, Pedro Afonso,
Adele Pinna, Sofia Conceição, Inês Bastos, Diana Vasconcelos, Nuno Campos

Estruturas:
HDP, Gabinete de Serviços e Projectos de Engenharia Civil, Lda.

Hidráulicas:
Diâmetro & Cálculo Engenharia Lda.

Energia e Telecomunicações:
Igemáci Engenharia, Lda.

Construção em madeira e Carpintaria . Edifício principal:
Carmo Estruturas em Madeira S.A. e Carmo SA.
Carpintaria C.Silva, Lda.
Henriques & Rodrigues, Lda.

Fotografia:
Fernando Guerra I FG+SG I ultimasreportagens.com
Centro Equestre - Empreendimento Agro-pecuário
Lugar de Cabo do Mundo – Leça da Palmeira - Matosinhos | 2012 - 2014