A CARREGAR

Descrição

Passados dez anos fui chamado para fazer uma outra casa num terreno contíguo à primeira que projectei e construí.

Desafio interessante, não muito habitual, mas que torna a profissão de arquitecto um constante desafio.

O confronto com as pré-existências, sejam elas construções, o terreno natural ou a paisagem, são sempre constantes e influenciam o acto de projectar.

Ignorá-las ou descontextualizar é negar a realidade. O arquitecto não pode ser um travesti de maneirismos exagerados.

A existência da Casa Valente Marques, a poente, foi assumida como uma pré-existência mas também como uma experiência específica para as pessoas e programa de então.
A Casa Valente Marques teria certamente outra morfologia se o processo tivesse sido iniciado xxxxxxxxxxxx mais tarde.

A Casa Célia, apesar de programa um pouco diferente, reflecte a passagem dos anos e a preocupação do arquitecto em abordar o tema da casa. A sua organização, mas sobretudo a utilização de materiais, durabilidade e manutenção foram preocupações importantes no sentido de corrigir erros observados nas construções anteriores e em particular da vizinha Casa Valente Marques.

A pendente do terreno e o panorama foram predominantes na escolha de opções.

Uma ligeira curva no volume permite abranger toda a paisagem sem intromissão na privacidade da casa contígua.

À chegada a casa parece ter dois pisos, mas na realidade tem três. O corpo da garagem absorve a diferença de nível do terreno, a norte, e liga-se ao volume de habitação por um sistema de cobertos, permitindo a circulação entre espaços exteriores e interiores. No piso térreo estão organizadas as áreas de estar. No piso superior os três quartos. No piso inferior, semi-enterrado, as áreas de apoio e arrumos.

Os três pisos estão interligados por um vazio vertical que permite a iluminação de espaços no piso inferior e servirá, em caso de necessidade, para a instalação de um ascensor.

Muros de suporte modelaram o terreno, reduzindo a acentuada pendente, criando espaços de estar, áreas de jardim e, a nascente, o pomar.

A casa é revestida com painéis de folha de cobre sobre um embasamento em blocos de granito. A patine do tempo sobre o cobre será uma mais valia.

Se daqui a oito anos, me fosse solicitada outra casa junto destas, seria certamente diferente e as opções e erros das primeiras seriam corrigidos.

Pelo menos tentaria.

Maio de 2009
Carlos Castanheira

Ficha Técnica

Cliente:
Cela Regina Pinto Coelho
Mário Rodrigues

Local:
Lugar de Adães - Ul
Oliveira de Azeméis - Portugal

Data de Projecto:
Janeiro 2000 / Setembro 2002

Construção:
Dezembro 2002 / Dezembro 2004

Proj. Arquitectura:
Carlos Castanheira
Carlos Castanheira & Clara Bastai, Arqtos Lda.

Colaboração:
Isabel Carvalho
Luís Calheiros
João FigueiredO (3D)

Proj. Engenharia:
Paulo Fidalgo, Eng. Civil
HDP Gabinete Projectos. Engenharia Civil, Lda.


Construtor:
A Construtora de Loureiro, Lda. (Empreiteiro Geral)

Fotografia:
Fernando Guerra
FG + SG - Fotografia de Arquitectura
Casa Célia
Lugar de Adães - Ul - Oliveira de Azeméis - Portugal | 2000 - 2004